Artigos

Hemangioma - Hemangioma

Hemangioma

Tumor não maligno constituído por vasos sanguíneos neoformados.

Hemangioblastoma - Hemangioblastoma

Hemangioblastoma

Também conhecido por tumor de Lindau, é um tumor do cérebro ou da espinal medula que forma nos vasos sanguíneos das meninges ou do cérebro. Associa-se com frequência ao feocromocitoma e à siringomielia.

ganglioma - Ganglioma

Ganglioma

Tumor de um gânglio.

feocromoblastoma - Feocromoblastoma

Feocromoblastoma

Tumor de feocromoblastos; paraganglioma.

Sinovioma - Sinovioma

Sinovioma

Tumor benigno ou maligno da membrana sinovial. Os sinoviomas benignos ocorrem nas bainhas tendinosas, os malignos (sarcomas sinoviais) podem aparecer onde normalmente não existe tecido sinovial, por exemplo, no esófago.

clear cell acanthoma degos1 - Acantoma

Acantoma

Tumefacção ou tumor na camada córnea da pele.

Teratoma - Teratoma

Teratoma

Tumor formado por vários tecidos que não costumam normalmente apresentar-se nesse lugar. Os teratomas aparecem com mais frequência nos testículos e ovários, e derivam possivelmente de restos de células embrionárias que têm capacidade de se diferenciar em muitos tipos de tecidos. O teratoma maligno do testículo ocorre nos homens jovens e é mais frequente nos testículos que não desceram para a bolsa escrotal. O tratamento é a orquidectomia, evitando a incisão no escroto. Pode disseminar-se invadindo os gânglios linfáticos, os pulmões e os ossos.

Hérnia1 - Queratocele

Queratocele

Hérnia da camada interna da córnea através de uma ulceração.

Histiocitoma - Histiocitoma

Histiocitoma

Tumor não maligno, dérmico, único ou múltiplo, duro, localizado principalmente nas pernas e no tronco, surge em consequência de pequenos traumatismos na pele. A lesão é nodular de 5 a 10 milímetros, bem delimitada, da cor da pele ou acastanhadas, móvel em relação aos planos profundos e não origina perturbações subjetivas ou outros incómodos. Elimina-se facilmente pela extirpação cirúrgica.

Meningioma - Meningioma

Meningioma

Tumor que se origina nas coberturas fibrosas do encéfalo e da espinal medula (meninges). Costuma ser de crescimento lento e produz sintomas pela pressão que exerce sobre o tecido nervoso subjacente. No cérebro, o tumor é a causa de uma epilepsia focal e gradualmente origina uma incapacidade neurológica progressiva. Na espinal medula causa paraplegia e síndrome de Brown-Sequard. Alguns meningiomas são malignos e invadem os tecidos vizinhos. O tratamento da maioria dos casos consiste na extirpação cirúrgica quando o tumor é acessível. As variedades mais malignas podeme xigir também radioterapia adicional.