Artigos

Osteocondrite - Osteocondrite

Osteocondrite

Inflamação de um osso, com dor devido à deposição de tecido ósseo anormal observada através dos raios X. A causa é desconhecida e a afeção costuma autolimitar-se, embora possa produzir uma deformidade permanente no osso afetado. Trata-se com analgésicos e anti-inflamatórios.

Osteoclasto - Osteoclasto

Osteoclasto

Grande célula multinucleada, que existe no osso, responsável pela sua reabsorção.

Osteíte1 - Osteoclasia

Osteoclasia

Rotura provocada ou deliberada de um osso mal formado ou mal consolidado que o cirurgião efetua para corrigir uma deformidade.

Osteoartrotomia - Osteoartrotomia

Osteoartrotomia

Corte cirúrgico do osso de uma articulação.

Osteíte - Osteíte

Osteíte

Inflamação de um osso provocada por infeção, traumatismo ou alteração metabólica. A osteíte fibroquística refere-se aos quistos caraterísticos que se formam nos ossos durante o hiperparatiroidismo prolongado.

Osso zigomático - Osso zigomático

Osso zigomático

Osso par na zona proeminente da face, que contribui para formar as órbitas.

Osso frontal - Osso frontal

Osso frontal

Osso que forma a frente e a parte superior das órbitas. Contém diversos espaços aéreos (seios nasais). Ao nascer, o frontal está divido em duas metades, esquerda e direita, cuja união origina uma sutura, que costuma fechar-se na infância.

Osso etmóide - Osso etmóide

Osso etmóide

Osso ímpar situado na base do crânio, que contribui para formar a cavidade nasal e as órbitas. A parte do etmóide que forma o teto da cavidade nasal está perfurada por pequenos orifícios através dos quais passam os filetes do nervo olfativo.

Osso esfenóide - Osso esfenóide

Osso esfenóide

Osso que forma a base do crânio atrás dos olhos. É formado por um corpo que contém uma série de espaços aéreos unidos à cavidade nasal, duas asas que fazem parte das órbitas e duas apófises pterigóideias que se projetam para baixo.

Radionecrose - Radionecrose

Radionecrose

Necrose (morte) de um tecido, geralmente referido ao osso cuja capacidade para se curar foi reduzida marcadamente pela radioterapia aplicada a um tumor. Ocorre com facilidade em consequência de um traumatismo ou de uma prática cirúrgica depois de ser submetido a uma irradiação.