Artigos

Hepatite - Hepatite

Hepatite

Inflamação do fígado produzida por uma infeção vírica ou por algumas doenças como a disenteria amebiana e o lúpus. A hepatite infeciosa transmite-se através de alimentos ou bebidas contaminadas por um portador ou um doente e geralmente ocorre em condições sanitárias deficientes. Depois de um período de 15 a 40 dias, o doente inicia um processo febril com mal-estar. Uma semana depois aparece uma coloração amarela na pele, que persiste durante cerca de três semanas. Durante este período, a doença pode ser contagiosa. As complicações graves não costumam conferir imunidade. A hepatite sérica transmite-se por sangue infetado ou por canais sanguíneos que contaminam as agulhas para injeção, por transfusões sanguíneas ou por agulhas de tatuagem. Ver Icterícia.

Gripe - Gripe

Gripe

Infeção vírica altamente contagiosa, que afeta o aparelho respiratório. Os vírus transmitem-se através de tosse e do espirro. Os sintomas começam depois de um período de incubação de um a quatro dias e compreendem acesso febril súbito, acompanhado de calafrios, tremores, cefaleia, perda de apetite e dores no corpo, seguidas de dor na garganta e tosse. Obstipação, depressão mental e cansaço acompanham, em regra os sintomas apontados. É também caraterístico da gripe um estado de debilidade. O processo pode continuar durante uma semana. O tratamento curativo da gripe comum resume-se na acamação do doente e na administração de antipiréticos e analgésicos, de que o ácido acetilsalicílico é o mais conhecido. Depois do descanso no leito e da tomada de aspirinas, muito doentes recuperam, embora uma infeção secundária dos pulmões seja uma grave complicação comum. Nas formas mais graves, que atingem sobretudo os idosos e os indivíduos com doenças de base (cardiopatias, estados consumptivos, por exemplo), a terapêutica é mais ativa, pois há que encarar situações acrescidas (edema pulmonar agudo, descompensação cardíaca, colapso vascular, complicações bacterianas, etc.), que ameaçam a vida dos doentes. Uma infeção e também uma imunização, protegem exclusivamente o organismo contra um género específico de vírus.

Polioencefalite - Polioencefalite

Polioencefalite

Infeção vírica do cérebro que provoca uma lesão determinada na substância cinzenta dos hemisférios e do tronco cerebral. A infeção costuma ser transmitida ao homem através da picada de um mosquito ou de uma carraça.

Rubéola1 - Rubéola

Rubéola

Infeção vírica de média gravidade e muito contagiosa que ocorre sobretudo na infância e provoca a tumefação dos gânglios linfáticos na região occipital do pescoço e uma erupção avermelhada distribuída por todo o corpo. Transmite-se por contato direto com uma pessoa infetada. Depois de um período de incubação de duas ou três semanas, inicia-se um quadro de cefaleias, dores de garganta e febre ligeira. A seguir, aparecem as adenopatias dolorosas no pescoço e um exantema de pequenas manchas que se espalham desde a cara e o pescoço, generalizando-se a todo o corpo. As manchas desaparecem cerca de sete dias depois, mas o doente continua a ser contagioso durante mais três ou quatro dias. A rubéola pode provocar malformações congénitas durante os primeiros meses da gravidez e as crianças do sexo feminino devem ser vacinadas contra esta doença antes da puberdade.