Artigos

Hipocôndrios - Hipocôndrios

Hipocôndrios

Regiões superiores e laterais do abdómen sob as quais estão localizados o fígado (à direita) e o baço (à esquerda).

Mononucleose - Mononucleose infeciosa

Mononucleose infeciosa

Doença infeciosa, também conhecida pela doença do beijo e é produzida pelo vírus de Epstein-Barr, que afeta os gânglios linfáticos do pescoço, das axilas e das virilhas. Apresenta-se principalmente nos adolescentes e nos adultos jovens. Depois de um período de incubação até sete semanas, o sintomas iniciam-se com tumefação e dores nos gânglios linfáticos, febre, dores de cabeça e de garganta e perda de apetite. Em alguns casos, o fígado é afetado causando hepatite e o baço aumenta de tamanho. A febre ganglionar diagnostica-se pela presença de grande número de monócitos no sangue. As complicações são raras, mas os sintomas podem persistir durante várias semanas antes da recuperação total.

Lecitina - Lecitina

Lecitina

Substância pertencente ao grupo dos fosfolípidos, importantes componentes das membranas celulares e que participam no metabolismo das gorduras no fígado.

canal hepático - Hepático, canal

Hepático, canal

Formado por dois canais procedentes do fígado e que se unem num canal comum. Este une-se com o canal cístico, proveniente da vesícula biliar, para formar o canal biliar comum (colédoco), que vai terminar no duodeno.

glicogenio - Glicogénio (ou glucogénio)

Glicogénio (ou glucogénio)

Hidrato de carbono formado por cadeias ramificadas de glicose (glucose). O glicogénio é a forma principal de armazenagem dos hidratos de carbono no organismo. Concentra-se no fígado e nos músculos e pode desdobrar-se rapidamente em glicose.

Hepatoma - Hepatoma

Hepatoma

Tumor maligno do fígado que se origina nas células maduras hepáticas. Nos países ocidentais é raro nos indivíduos com fígado normal, mas desenvolve-se frequentemente em doentes afetados de cirrose.

Hepatite - Hepatite

Hepatite

Inflamação do fígado produzida por uma infeção vírica ou por algumas doenças como a disenteria amebiana e o lúpus. A hepatite infeciosa transmite-se através de alimentos ou bebidas contaminadas por um portador ou um doente e geralmente ocorre em condições sanitárias deficientes. Depois de um período de 15 a 40 dias, o doente inicia um processo febril com mal-estar. Uma semana depois aparece uma coloração amarela na pele, que persiste durante cerca de três semanas. Durante este período, a doença pode ser contagiosa. As complicações graves não costumam conferir imunidade. A hepatite sérica transmite-se por sangue infetado ou por canais sanguíneos que contaminam as agulhas para injeção, por transfusões sanguíneas ou por agulhas de tatuagem. Ver Icterícia.

Hepatalgia - Hepatalgia

Hepatalgia

Dor em ou sobre o fígado (especialmente um abcesso) ou a dilatação hepática (como acontece na insuficiência cardíaca).

Fígado - Fígado

Fígado

Glândula maior do nosso organismo e que está situado na zona superior direita da cavidade abdominal. O fígado divide-se pelas fissuras em quatro lobos: o direito (lobo maior), o esquerdo, o quadrado e o caudado. Está ligado ao diafragma e às paredes abdominais por cinco ligamentos, entre os quais o ligamento falciforme, que separa os lobos direito e esquerdo e o ligamento fibroso redondo que deriva da veia umbilical embrionária. O sangue venoso contido pelos alimentos digeridos é conduzido ao fígado pela veia porta. As ramificações desta veia passam entre os lobos e terminam os sinusóides.

O sangue oxigenado é proporcionado pela artéria hepática. O sangue sai do fígado através de uma veia central em cada lobo que drena na veia hepática. O fígado enerva-se por meio das fibras nervosas parassimpáticas. O fígado tem um núemro importante de funções. Sintetiza a bílis que flui para a vesícula biliar antes de entrar no duodeno. O fígado é um lugar importante do metabolismo dos hidratos de carbono, das proteínas e das gorduras. Regula a quantidade de açúcar do sangue, convertendo o excesso de glicose; elimina o excesso de aminoácidos, desdobrando-os em amoníaco e finalmente em ureia; armazena e metaboliza as gorduras. O fígado também sintetiza o fibrinogénio, a protrombina (substâncias importantes para a coagulação) e a heparina, que é um anticoagulante. Forma os glóbulos vermelhos sanguíneos no feto e é o lugar de produção das proteínas plasmáticas. Desempenha um papel importante na desintoxicação de substâncias venenosas e destrói os glóbulos vermelhos lesados e outras substâncias indesejáveis, como o excesso de estrogénios na mulher. O fígado é também o lugar de síntese da vitamina A; esta vitamina é armazenada também no referido órgão juntamente com as vitaminas B12 e D.