Artigos

aneurisma cerebral - Aneurisma

Aneurisma

Dilatação anormal da parede de vasos ou do coração. Pode ser causado por uma infeção como a sífilis; ou ainda, ser de natureza congénita. O aneurisma aórtico pode desenvolver-se em qualquer zona da aorta. O aneurisma dissecante afeta a primeira parte desta vaso devido a uma lesão de origem degenerativa que altera a camada muscular. Esta fraqueza predispõe à rotura do revestimento da parede do vaso permitindo a entrada de sangue e a consequente dissecante pode romper ou comprimir os vasos sanguíneos que se originam na aorta, causando enfartes (necroses localizadas) nos órgãos por eles irrigados. O doente com um aneurisma aórtico queixa-se de dor torácica intensa tipo facada  com irradiação frequente ao dorso e ao abdómen. A cirurgia reconstrutiva pode resolver alguns casos. O aneurisma ventricular forma-se após um enfarte do miocárdio, pela dilatação da parede do ventrículo esquerdo que ficou afetada. Esta zona do miocárdio substituída por tecido fibroso cicatricial expande-se , formando um ancurisma. Esta situação pode conduzir à insuficiência cardíaca ou à formação de um trombo no interior do aneurisma, constituindo uma fonte de embolismo. A maior parte dos aneurismas cerebrais é congénita; existe o risco de rotura originando uma hemorragia subaraenoideia. Os aneurismas de Charcot-Bouchard são pequenos aneurismas presentes nas arteríolas do cérebro dos idosos hipertensos. A rotura destes aneurismas provoca hemorragias cerebrais. Ver Shunt Arteriovenoso.

Enfarte - Enfarte

Enfarte

Morte de parte ou de um órgão em conjunto, que se produz quando a artéria que o irriga é obstruída por um coágulo sanguíneo (trombo) ou por um êmbolo. Por exemplo, o enfarte do miocárdio que afeta o músculo cardíaco e é consequência da uma trombose coronária. A zona localizada de tecido morto que se origina como resultado de um fornecimento inadequado de sangue, também se designa de enfarte.