Artigos

Zoonose - Zoonose

Zoonose

Doença infeciosa dos animais com capacidade para se transmitir ao homem em condições naturais.

Weil doença de A. - Weil (doença de A.)

Weil (doença de A.)

Doença infeciosa aguda que é transmitida ao homem através dos excrementos urinários dos ratos, quer a eliminam por esta via.

Varíola - Varíola

Varíola

Doença infeciosa vírica aguda que provoca febre elevada com um rash ou exantema que origina cicatrizes na pele. Transmite-se principalmente com o contato direto com o doente. Os sintomas começam entre oito e dezoito dias depois da exposição, destacando-se as cefaleias, as dores na coluna, a febre elevada e os vómitos. Ao terceiro dias, quando a febre desce, aparecem umas manchas vermelhas na face que se vão estender ao tronco e às extremidades. Aos oito ou nove dias, todas as manchas (máculas) se transformam em pápulas e postreriomente em vesículas do tamanho de uma ervilha, no início de conteúdo aquoso, mas que depois se enchem rapidamente de pus (pústulas). A febre reaparece, havendo com frequência delírio. Ao décimo primeiro ou décimo segundo dia desaparecem o rash e a febre. As crostas, formadas ao secarem as pústulas, caem entre os sete e os vinte dias seguintes, deixando no seu lugar cicatrizes permanentes. O doente é contagioso até que caiam todas as crostas. Muitos doentes recuperam, embora possam sobrevir graves complicações como a nefrite ou a pneumonia.

Tuberculose - Tuberculose

Tuberculose

Doença infeciosa causada pelo bacilo Mycobacterium tuberculosis e caraterizada pela formação de lesões nodulares (tubérculos) nos tecidos. Na tuberculose pulmonar, o bacilo é inalado pelos pulmões, desenvolvendo um tubérculo primário com extensão aos gânglios linfáticos próximos. As defesas imunitárias naturais podem resolvê-lo durante este período. Alternativamente, a doença pode permanecer latente durante meses ou anos e flutuar segundo a resistência do doente. Muitas pessoas infetadas não apresentam sintomas. Os sintomas da doença ativa incluem, febre, suores noturnos, perda de peso e expetoração hemoptóica.

Em alguns casos, os bacilos disseminam-se desde o pulmão pela corrente sanguínea, provocando a formação de milhões de pequeníssimos tubérculos por todo o organismo ou emigrando para as meninges para causar a meningite tuberculosa. Os bacilos cuja porta de entrada foi a boca, usualmente o leite de vaca infetado, originam um complexo primário nos gânglios linfáticos abdominais, provocando peitonites e disseminando-se, por vezes, a outros órgãos, articulações e ossos. A tuberculose é tratada com o antibiótico esptrptomicina, a isoniazida (INH) e com o ácido para-amino-salicílico (PAS), entre outros. Nas medidas de prevenção incluem-se a deteção dos portadores com o screening radiológico e a inoculação com a vacina BCG nos que não têm imunidade à doença.

Sarampo - Sarampo

Sarampo

Doença altamente infeciosa produzida por um vírus. Tende a ocorrer em forma de epidemias, afetando principalmente as crianças. Depois de um período de incubação de oito a quinze dias, aparecem uns sintomas parecidos com os de uma constipação, acompanhados por febre alta. No interior das bochechas podem aparecer uma pequenas manchas vemelhas com o centro branco (manchas de Koplik). Entre o terceiro e o quinto dia, desenvolve-se um exantema avermelhado, ligeiramente elevado, em forma de manchas que primeiro se iniciam atrás das orelhas, passam para a cara e depois alastram a todo o corpo. O doente é contagioso durante este período. Em muitos casos, os sintomas desaparecem rapidamente, mas o doente continua suscetível à pneumonia e à infeções do ouvido médio. A recuperação completa ocorre entre duas e quatro semanas depois. A vacina contra o sarampo produz uma imunidade efetiva.

Mononucleose - Mononucleose infeciosa

Mononucleose infeciosa

Doença infeciosa, também conhecida pela doença do beijo e é produzida pelo vírus de Epstein-Barr, que afeta os gânglios linfáticos do pescoço, das axilas e das virilhas. Apresenta-se principalmente nos adolescentes e nos adultos jovens. Depois de um período de incubação até sete semanas, o sintomas iniciam-se com tumefação e dores nos gânglios linfáticos, febre, dores de cabeça e de garganta e perda de apetite. Em alguns casos, o fígado é afetado causando hepatite e o baço aumenta de tamanho. A febre ganglionar diagnostica-se pela presença de grande número de monócitos no sangue. As complicações são raras, mas os sintomas podem persistir durante várias semanas antes da recuperação total.

Malária - Malária

Malária

Designa-se por uma doença infeciosa causada pela presença nos glóbulos vermelhos do sangue do parasita protozoário do género Plasmodium. A doença transmite-se pelo mosquito Anopheles e a sua prevalência mantém-se principalmente nas zonas tropical e subtropical. O parasita, no sangue de um indivíduo afetado, introduz-se no estômago do mosquito quando este se alimenta aspirando o sangue. No referido órgão, multiplica-se e invade as glândulas salivares. Quando o mosquito pica outro indivíduo, injeta os parasitas na corrente sanguínea e estes migram para o fígado e outro órgãos, em que se multiplicam. Depois de um período de incubação que varia entre os 12 dias e os 10 meses, o parasita passa de novo à corrente sanguínea e invade os glóbulos vermelhos do sangue. A rápida multiplicação dos parasitas provoca a destruição dos glóbulos vermelhos e liberta outros parasitas capazes de infetar outros glóbulos vermelhos.

Este fenómeno causa uma crise de tremores, febres e suores, assim como a destruição de glóbulos vermelhos, o que origina uma anemia. Quando se produz nova libertação de parasitas, voltam a aparecer os sintomas descritos.

Infetocontagiosa - Infetocontagiosa

Infetocontagiosa

Diz-se da doença infeciosa que facilmente se transmite por contágio. São exemplos de doenças infetocontagiosas, a tuberculose, a difteria, a varíola, o sarampo, a paralisia infantil, a febre tifóide.

Leptospirose - Leptospirose (ou doença de Weil)

Leptospirose (ou doença de Weil)

Doença infeciosa provocada por uma bactéria do género Leptospira, que ocorre em roedores, cães e outro mamíferos e pode transmitir-se a indivíduos que contatem de perto com estes animais.

Febre recorrente - Febre recorrente

Febre recorrente

Doença infeciosa causada por bactérias do género Borrelia que se transmitem por carraças ou percevejos e que causam uma febre recorrente.