Artigos

Tecido - Tecido

Tecido

Conjunto de células especializadas em realizar uma determinada função. As células podem ser do mesmo tipo ou de tipos diferentes. Os órgãos são formados por conjuntos de tecidos.

Queratinização - Queratinização

Queratinização

Processo no qual as células adquirem consistência córnea por depósito de queratina no seu interior. Produz-se na epiderme da pele e das estruturas associadas.

Nucleoproteína - Nucleoproteína

Nucleoproteína

Composto presente nas células formado pelo ácido nucleico e uma proteína intimamente ligados entre si. Os ribossomas são nucleoproteínas que contêm ARN. Os cromossomas são nucleoproteínas que contêm ADN.

Necrose - Necrose

Necrose

Morte de algumas ou de todas as células de um órgão ou tecido provocada por doença, perturbação física ou química ou interrupção da irrigação sanguínea.

Necrobiose - Necrobiose

Necrobiose

Processo gradual mediante o qual as células perdem as suas funções e morrem. A necrobiose lipóide é uma degeneração da pele que orirgina áreas de cicatrização esbranquiçada e adelgaçamento da mesma. Ocorre com mais frequência em diabéticos embora também às vezes apareça em indivíduos não diabéticos.

Mesotélio - Mesotélio

Mesotélio

Camada única de células que revestem as membranas serosas.

Megaloblasto - Megaloblasto

Megaloblasto

Forma anormal das células precursoras dos glóbulos vermelhos sanguíneos. Os megaboblastos são extraordinariamente grandes e os seus núcleos não amadurecem de maneira normal. Aparecem na medula óssea de certas anemias produzidas por défice de vitamina B12 ou ácido fólico.

Lisina - Lisina

Lisina

Componente proteico do sangue capaz de provocar a destruição de todas as células. Os diversos tipos de lisinas têm tido vários nomes de acordo com as suas múltiplas funções ou objetivos. Por exemplo, a hemolisina ataca os glóbulos vermelhos, a leucolisina os glóbulos brancos e leucócitos e a bacteriolisina ataca as células bacterianas.

Leydig - Leydig (células de F.)

Leydig (células de F.)

Células intersticiais do testículo, produtoras da sua secreção interna.

fig5 01 - Astrocitoma

Astrocitoma

Tumor cerebral formado por células de suporte não nervosas (glia) que, ao contrário dos neurónios, mantêm a capacidade de se reproduzirem mediante mitose. Os astrocitomas apresentam todos os graus de malignidade desde os tumores de crescimento lento, cuja estrutura histológica recorda a das células gliais normais, até tumores de crescimento rápido, muito invasivos, cuja estrutura celular está muito pouco diferenciada. Nos adultos, a astrocitoma costuma aparecer nos hemisférios cerebrais, mas nas crianças pode também produzir-se no cerebelo.