Proteína - Proteína

Proteína

Substância do grupo de composto orgânicos de carvão, hidrogénio, oxigénio e nitrogénio (o enxofre e o fósforo podem também estar presentes). A molécula proteica é uma estrutura complexa, formada por uma ou mais cadeias de aminoácidos unidos por enlaces peptídicos. As proteínas são os compostos essenciais do corpo. Formam a estrutura material dos músculos, tecidos, órgãos, etc., e são também importantes como reguladoras de funções, como as enzimas e as hormonas. As proteínas são sintetizadas no organismo a partir do seus compostos aminoácidos, que se obtêm por meio da digestão das proteínas da alimentação. O excesso de proteínas não requeridas pelo organismo pode transformar-se e glicose e ser utilizada como fonte de energia (neoglicogénese).

Pick doença de - Pick, doença de

Pick, doença de

Causa rara de demência nas pessoas de meia-idade. A lesão localiza-se preferentemente nos lobos frontal e temporal do cérebro, em contraste com a degeneração difusa da doença de Alzheimer.

Parestesia - Parestesia

Parestesia

Sensação anormal e espontânea de formigueiro. Constitui um sintoma de lesão parcial de um nervo periférico.

Pé chato - Pé chato

Pé chato

Ausência da escavação da planta do pé, com o desaparecimento da sua curvatura normal, de maneira que quase toda a planta do pé se mantém apoiada no solo. Pode apresentar-se desde a infância ou adquirir-se em adulto por uma estadia prolongada de pé ou por excesso de peso. O pé chato só requer tratamento (exercícios) quando provoca dor.

pancreatina - Pancreatina

Pancreatina

Extrato obtido do pâncreas que contém as enzimas pancreáticas.

Polinevrite - Polinevrite

Polinevrite

Qualquer doença que afete todos os nervos periféricos. O termo costuma ser utilizado como sinónimo de polineuropatia, mas na realidade o seu significado específico implica a inflamação dos nervos.

Pericrânio - Pericrânio

Pericrânio

Perióstio exterior do crânio.

Pieolonefrite - Pieolonefrite

Pieolonefrite

Infeção bacteriana do parênquima renal. Na pielonefrite aguda, o doente tem dores na região lombar, temperatura elevada e calafrios. O tratamento consiste na administração de um antibiótico adequado. Deve efetuar-se uma exploração urológica completa para descobrir qualquer anomalia subjacente e impedir recaídas. Na pielonefrite crónica, os rins diminuem de tamanho e esclerosam-se conduzindo, finalmente, a uma insuficiência renal.

Pancreatite - Pancreatite

Pancreatite

Inflamação do pâncreas. A pancreatite aguda é uma doença súbita em que o doente sente uma dor intensa na parte superior do abdómen e nas costas. A sua causa é incerta. Pode ser confundida com uma úlcera péptica perfurada, mas distingue-se deste quadro clínico porque a enzima amilase está elevada no sangue. O tratamento consiste em alimentação endovenosa e drogas anticoliunérgicas.

A pancreatite recidivante, afeção em que os sintomas são recorrentes e menos graves, e que pode estar associado a cálculos vesiculares e ao alcoolismo. A prevenção das recidivas consegue-se com a extirpação da vesícula biliar e a eliminação de álcool e de gorduras na dieta. A pancreatite crónica pode produzir sintomas semelhantes à pancreatite recidivante e pode ser indolor. Conduz, às vezes, à insuficiência pancreática e, consequentemente, à diabetes mellitus. O pâncreas apresenta, com frequência, calcificações, traduzidas em imagens observáveis aos raios X.

Pancreatectomia - Pancreatectomia

Pancreatectomia

Extirpação total ou parcial cirúrgica do pâncreas. A pancreatectomia total compreende toda a glândula e parte do duodeno. Na pancreactomia subtotal extirpa-se a maior parte da glândula, deixando unicamente uma pequena parte junto do baço. Na pancreactomia parcial só se extirpa uma parte da glândula. Estas operações efetuam-se devido a tumores da glândula ou uma pancreatite crónica. Após uma pancreatectomia total ou subtotal, é necessário administrar enzimas pancreáticas durante as refeições, a fim de facilitar a digestão e insulina para substituir a que a glândula segrega normalmente.