Glicose - Glicose (ou glucose)

Glicose (ou glucose)

Açúcar simples que contém seis átomos de carbono (hexose). É uma importante fonte de energia do organismo e a única fonte de energia para o cérebro. A glicose livre não se apresenta em muitos alimentos. No entanto, a glicose é um dos elementos da sacarose e do amido, que produzem glicose depois da digestão. A glicose armazena-se no organismo em forma de glicogénio. A concentração de glicose no sangue mantém-se a um nível de 5 milimoles por litro pela ação de diversas hormonas, principalmente a insulina.

Gastroduodenostomia1 - Gastroduodenostomia

Gastroduodenostomia

Intervenção cirúrgica em que o duodeno (geralmente a sua terceira ou quarta porção) se anastomosa a uma abertura efetuada no estômago a fim de excluir uma obstrução (como a estenose pilórica) ou para facilitar a saída do alimento do estômago depois de uma vagotomia.

glicogenio - Glicogénio (ou glucogénio)

Glicogénio (ou glucogénio)

Hidrato de carbono formado por cadeias ramificadas de glicose (glucose). O glicogénio é a forma principal de armazenagem dos hidratos de carbono no organismo. Concentra-se no fígado e nos músculos e pode desdobrar-se rapidamente em glicose.

Galactóforo - Galactóforo

Galactóforo

Que conduz leite. Designação dada aos canais excretores da glândula mamária.

Glomérulo - Glomérulo

Glomérulo

Grupo de capilares sanguíneos no extremo de um nefrónio (cápsula de Bowman). É o lugar onde se produz a filtração primária dos produtos residuais do sangue a nível do tubo renal.

glioma - Glioma

Glioma

Qualquer tumor de células não nervosas (glia) do sistema nervoso. O termo utiliza-se às vezes para designar todos os tumores que se apresentam no sistema nervoso central incluindo astrocitomas oligodendrogliomas, meduloblastomas e ependimomas. Os tumores de escassa malignidade originam sintomas pela pressão que exercem sobre as estruturas vizinhas. Os tumores de grande malignidade têm capacidade invasiva.

Ginecomastia - Ginecomastia

Ginecomastia

Hipertrofia das mamas num homem provocada por desequilíbrio hormonal ou por terapêutica  hormonal.

Grupo sanguíneo - Grupo sanguíneo

Grupo sanguíneo

Um dos muitos grupos em que se pode classificar o sangue de um indivíduo, com base na presença ou ausência de certos antigénios herdados, situados na superfície dos glóbulos vermelhos. O sangue de um grupo contém anticorpos no soro que reagem contra as células dos outros grupos. Há mais de trinta sistemas de grupos sanguíneos, um dos mais importantes dos quais é o sistema ABO. Este sistema baseia-se na presença ou ausência de antigénios A e B: o sangue dos grupos A e B contém antigénios A e B respetivamente. O grupo AB contém ambos os antigénios e o grupo O nenhum. O sangue do grupo A contém anticorpos do antigénio B e o grupo B contém anticorpos do antigénio A; o grupo AB não contém nenhum anticorpo e o grupo O contém ambos os anticorpos. Nas transfusões de sangue, o dador e o recetor devem pertencer ao mesmo grupo, à exceção dos indivíduos do grupo AB, que podem receber o sangue de qualquer indivíduo (recetores universais), e dos do grupo O, que são dadores universais. Por outras palavras, um indivíduo cujo sangue contenha um ou ambos destes anticorpos não pode receber uma transfusão de sangue que contenha os correspondentes antigénios.

Gripe - Gripe

Gripe

Infeção vírica altamente contagiosa, que afeta o aparelho respiratório. Os vírus transmitem-se através de tosse e do espirro. Os sintomas começam depois de um período de incubação de um a quatro dias e compreendem acesso febril súbito, acompanhado de calafrios, tremores, cefaleia, perda de apetite e dores no corpo, seguidas de dor na garganta e tosse. Obstipação, depressão mental e cansaço acompanham, em regra os sintomas apontados. É também caraterístico da gripe um estado de debilidade. O processo pode continuar durante uma semana. O tratamento curativo da gripe comum resume-se na acamação do doente e na administração de antipiréticos e analgésicos, de que o ácido acetilsalicílico é o mais conhecido. Depois do descanso no leito e da tomada de aspirinas, muito doentes recuperam, embora uma infeção secundária dos pulmões seja uma grave complicação comum. Nas formas mais graves, que atingem sobretudo os idosos e os indivíduos com doenças de base (cardiopatias, estados consumptivos, por exemplo), a terapêutica é mais ativa, pois há que encarar situações acrescidas (edema pulmonar agudo, descompensação cardíaca, colapso vascular, complicações bacterianas, etc.), que ameaçam a vida dos doentes. Uma infeção e também uma imunização, protegem exclusivamente o organismo contra um género específico de vírus.

Gastrina - Gastrina

Gastrina

Hormona produzida na membrana mucosa da região pilórica do estômago. A sua secreção é estimulada pela presença de alimentos. Através da circulação sanguínea estende-se ao resto do estômago, onde estimula a produção de suco gástrico.