Enfarte do miocárdio

Enfarte do miocárdio

Necrose ou morte de uma zona do músculo cardíaco após a interrupção da irrigação sanguínea. O enfarte do miocárido costuma estar confinado ao ventrículo esquerdo. O paciente sofre um “ataque cardíaco”, dor severa súbita no tórax, que irradia para os braços e a garganta. O maior perigo é o da fibrilhação ventricular, que é a causa da maioria dos falecimentos no enfarte. São também frequentes outras arritmias. Os batimentos ectópicos dos ventrículos são especialmente importantes porque predispõem à fibrilhação ventricular.

Entre outras complicações, indicaremos a descompensação cardíaca, a rutura cardíaca, a flebotrombose, a embolia pulmonar, a pericardite, a insuficência mitral e a perfuração do septo entre os ventrículos. Os melhores resultados no tratmento dos pacientes com enfarte do miocárdio conseguem-se nas unidades de seguimento móveis e nas unidades coronárias hospitalares imóveis que facilitam a deteção, a prevenção e o tratamento das arritmias e das insuficiências cardíacas. Muitos sobreviventes do enfarte do miocárdio podem voltar a uma vida completa e ativa.